Quer ser um profissional criativo? Então, comece a pensar e a fazer perguntas

Share:
Imagem ilustrativa da internet
“O conhecimento está 'comoditizado'. Todo mundo recebe as mesmas informações e estuda as mesmas coisas”, analisa o consultor em criatividade e inovação Antônio Teixeira. A solução é começar a pensar fora da caixa, para se destacar nas organizações. Porém, embora esteja cada vez mais claro que as empresas precisam de profissionais inovadores e criativos, como desenvolver essas competências?

Primeiro, é importante saber que todos os seres humanos nascem com as mesmas capacidades de criação e inovação. O problema é quando chegam às escolas. “Todos nós nascemos com esse potencial, porém, conforme vamos crescendo, perdemos esse potencial, em função dos modelos mentais que nos são ensinados”, explica a especialista em criatividade e inovação Maria Inês Felippe.

Na prática, o fato de a maior parte dos modelos escolares darem preferência à “decoreba” e não ao desenvolvimento do pensamento faz com que as pessoas se tornem adultos limitados, que não conseguem expandir sua capacidade criativa. “Nós desaprendemos a usar a criatividade ao entrar na escola, porque o sistema educacional vigente prioriza muito mais a memorização do que o saber pensar”, analisa Teixeira.

Pense mais

E é justamente esse “saber pensar” a resposta para aqueles que gostariam de se tornar pessoas mais criativas e inovadoras, tanto no trabalho quanto em qualquer outra esfera da vida. Teixeira explica que o primeiro passo nesse caminho é se habituar a se questionar. “O questionamento é a fonte da criatividade e da inovação”, diz o especialista.

No trabalho, tente sempre pensar como fazer suas tarefas de outras formas, como ser mais produtivo, como fazer melhor e como ser mais rápido, sem afetar a qualidade. Pense sempre de quais maneiras você pode simplificar um processo. “Cada resposta que eu der para essas perguntas são novas ideias. É um processo criativo muito simples, ao qual o profissional só precisa se habituar”, diz Teixeira.

Mas lembre-se de que as ideias não podem ficar no papel. Os especialistas explicam que as ideias devem ser passadas adiante, evitando pensar que, se sua ideia fosse boa, alguém já teria sugerido, ou seja, a autocensura. Nem sempre é assim que as coisas funcionam e você pode estar segurando uma ideia que poderia revolucionar o trabalho da sua equipe, o processo de atendimento ao cliente ou o desenvolvimento de algum projeto.

De acordo com Teixeira, a criatividade é "a habilidade de criar algo". É ver a mesma coisa que seus pares estão vendo, mas enxergar algo diferente, antes deles. Para criar coisas novas e diferentes, o profissional precisa fazer perguntas constantemente. “O questionamento é o primeiro passo para uma melhora, uma ideia nova, um produto melhor”, finaliza Teixeira. (Infomoney).

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário