Bancos públicos estudam não cobrar juros de cheque especial

Share:



Uma das medidas em discussão entre os bancos oficiais e o Ministério da Fazenda para tentar reduzir o custo dos empréstimos no país é garantir aos clientes dessas instituições o uso do cheque especial por alguns dias no mês sem a cobrança de juros.

A medida, que já foi adotada por concorrentes da iniciativa privada, visa evitar que correntistas que recorrem eventualmente a essa forma de crédito por um prazo curto fiquem reféns do custo elevado do cheque especial.

A proposta surgiu durante discussão da equipe econômica, mas cada banco ainda estuda a viabilidade de implementá-la. Nesta semana, a Caixa Econômica Federal deverá divulgar suas ações para reduzir o custo dos empréstimos. O BB deverá fazer o mesmo na sequência.

Na semana passada, o governo cogitava promover uma solenidade conjunta para o anúncio dos dois bancos.

Cuidado com a imagem

No entanto, segundo a Folha apurou, uma parte da equipe econômica teme que a iniciativa seja interpretada como uma tentativa do governo de impor regras ao sistema financeiro privado.

Além disso, avalia-se que não é recomendável para o BB, que é controlado pela União e tem parte das suas ações negociadas em Bolsa, passar a imagem de que está agindo nessa área por determinação do controlador -e não por achar que é uma decisão comercial viável.

Isso poderia ir contra o objetivo maior do governo: induzir iniciativas de redução dos juros também por parte dos bancos privados.

Diante do cenário de concorrência cada vez mais acirrada na área financeira, a avaliação é que as instituições oficiais são um instrumento importante para influenciar o comportamento do mercado financeiro.

Esse raciocínio baseia-se na experiência de 2009, quando os bancos oficiais lideraram a oferta de crédito para estimular a economia.

Com isso, evitaram que a concessão de empréstimos secasse e forçaram a concorrência privada a manter as operações, mesmo que num ritmo menor. (Folha de São Paulo por Sheila D´Amorim).

Um comentário:

  1. Senhores: os juros sobre crédito é apenas um componente, que influencia o custo de captação. Somam-se a isso, os impostos, a inadimplência, as despesas administrativas e finalmente o lucro do banco, o qual representa apenas cerca de 30% sobre o valor total,qualquer comércio lucra 30% sobre o faturamento. Os bancos nada mais são que casas de comércio, onde o produto é o dinheiro. O que precisa é o consumidor procurar o produto mais barato, que jamais é o cartão de crédio ou cheque especial. O bom mesmo é não endividar-se! Compare as taxas de juros em http://www.ipoupar.com.br/creditos/

    ResponderExcluir