sábado, 3 de março de 2012

Aliança de Peugeot e GM quer economizar US$ 2 bi por ano


General Motors e PSA Peugeot Citroen irão buscar uma redução conjunta de custos de US$ 2 bilhões  por ano com uma aliança global de plataformas de veículos e compras, mas isso só será integralmente atingido dentro de cinco anos, informaram as montadoras nesta quarta-feira. 
 Pelo acerto entre as empresas, a GM vai participar de um aumento de capital de 1 bilhão de euros (US$ 1,34 bilhão) da Peugeot, tornando-se a segunda maior acionista da montadora francesa como parte de uma ampla aliança industrial, disseram as companhias. 
A GM terá participação de 7% na Peugeot, segunda maior montadora da Europa, e as duas empresas irão combinar trabalhos de pesquisa e desenvolvimento, plataformas de veículos e tecnologias, informaram ambas as companhias. 
"As sinergias com a aliança, em adição aos nossos planos independentes, posicionam a GM para uma lucratividade sustentável no longo prazo na Europa", disse o presidente-executivo da GM, Dan Akerson, em comunicado. 
A aliança será concentrada em carros de passageiros pequenos e médios e crossovers. Posteriormente, os dois parceiros pretendem desenvolver juntos uma nova plataforma para veículos com baixa emissão de CO2. Os primeiros automóveis produzidos em uma plataforma conjunta começarão a ser comercializados em 2016. O comunicado sobre a parceria não mencionava possíveis fechamentos de fábricas ou demissões. (Uol com informações Reuters).
As economias de custos com o acordo serão limitadas nos primeiros dois anos, mas eventualmente atingirão US$ 2 bilhões por ano, valor a ser dividido igualmente entre as companhias. 
O acordo, que vem à medida que a Peugeot e a unidade europeia Opel da GM enfrentam vendas lentas e capacidade ociosa na Europa, terá que vencer o ceticismo de investidores e analistas. 


"A Peugeot precisa da GM, mas a GM não precisa da Peugeot", disse o analista Matthw Stover, da Guggenheim Securities, em Nova York. "É difícil para mim compreender como esse acordo ajuda a GM na Europa."  
Ambas as montadoras têm excesso de capacidade de cerca de 25% na região, disse Stover, acrescentando a aliança traz riscos no momento em que a GM está em um ponto muito delicado de sua reestruturação. 
Assim como a Peugeot, a Opel está lutando para reverter pesados prejuízos em meio à queda de vendas de carros na Europa e guerra de preços entre as fabricantes de automóveis. 
As operações europeias da GM tiveram prejuízo de US$ 747 milhões no ano passado, enquanto a divisão de carros da Peugeot teve perda de 497 milhões de euros no segundo semestre. 
A família Peugeot disse que investirá 150 milhões de euros no aumento de capital na montadora, permacendo como maior acionista da companhia. 

Copyright © 2011 | Powered by Blogger

Formatação e Design | JM DESIGN e Programadores Associados | Criação, Design e Formatação de WebSites | jm.designgrafico@gmail.com