quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Exame de Suficiência em Contabilidade: Exercício contextualizado

Imagem divulgação
EXAME DE SUFICIÊNCIA EM CONTABILIDADE

QUESTÃO 14 (EXAME CFC/CRC 2/2011) 


RESPOSTA (LETRA B)

RESOLUÇÃO

Segundo os Planos de Contas Aplicado ao Setor Público:


MANUAL DE CONTABILIDADE  APLICADA AO SETOR PÚBLICO

Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios.

Válido para o exercício de 2010, de forma facultativa e obrigatoriamente em 2011 para a União, 2012 para os Estados e 2013 para os Municípios.
(Portaria STN nº467, de 6 de agosto de 2009).


MANUAL TÉCNICO DE  CONTABILIDADE APLICADA AO  SETOR PÚBLICO
Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios
(Portaria STN nº XXXX, de 2009)

1ª edição

ITEM 1- Variação Patrimonial Diminutiva

A variação patrimonial diminutiva pode ser classificada:

a) Quanto à entidade que apropria a despesa:

- Variação patrimonial diminutiva pública – aquela efetuada por entidade pública.
- Variação patrimonial diminutiva privada – aquela efetuada pela entidade privada.

b) Quanto à dependência da execução orçamentária:

- Variação patrimonial  diminutiva resultante da execução orçamentária – aquela que  depende de autorização orçamentária para acontecer.  Exemplo: despesa com salário,  despesa com serviço, etc.

- Variação patrimonial  diminutiva independente da execução orçamentária – aquela que  independe de autorização orçamentária para acontecer. Exemplo: constituição de provisão,  despesa com depreciação, etc.

c) Quanto às ações executadas pelo setor público:

- Pessoal – Trata da remuneração de pessoal do governo e seus encargos.

- Benefícios Sociais  – Caracterizados em geral por espécies de transferências com o  objetivo de proteger a população ou segmentos dela contra certos riscos sociais.

- Uso de Bens e Serviços – Consistem de serviços, insumos e matérias-primas empregados  na produção de bens e serviços acrescidos de mercadorias compradas para revenda menos a variação líquida de inventários de produtos em elaboração, bens acabados e mercadoria para  revenda. 

- Operações Financeiras – Tratam de despesas com juros, descontos concedidos, etc. 

- Transferências  – Incluem doações, subvenções, subsídios, auxílios, transferências  intergovernamentais e intragovernamentais concedidas, entre outros.

- Outras Variações  Diminutivas – Outras variações patrimoniais  diminutivas não  classificadas nos grupos anteriores.



ITEM 2- Variação Patrimonial Aumentativa

Segundo os princípios contábeis, a variação patrimonial aumentativa deve ser registrada no  momento da ocorrência do seu fato gerador, independentemente de recebimento.

A variação patrimonial aumentativa pode ser classificada:

a) Quanto à entidade que apropria a variação patrimonial aumentativa:

- Variação patrimonial aumentativa pública – aquela auferida por entidade pública.

- Variação patrimonial aumentativa privada – aquela auferida por entidade privada.

b) Quanto à dependência da execução orçamentária:

- Variação patrimonial  aumentativa resultante da execução orçamentária  – são receitas  orçamentárias efetivas arrecadadas, de propriedade do ente, que resultam em aumento do  patrimônio líquido. Exemplo: receita de tributos.

- Variação patrimonial aumentativa independente da execução orçamentária – são fatos que  resultam em aumento do patrimônio líquido, que ocorrem independentemente da execução  orçamentária. Exemplo: incorporação de bens (doações recebidas).

c) De acordo com as características e peculiaridades das entidades:

- Governamentais – Abrangem tributos e contribuições.

- Empresariais – Tratam de venda de bens e serviços.

- Financeiras – Versam sobre receitas de juros, dividendos, descontos obtidos etc.

- Transferências  – Incluem doações, subvenções, subsídios, auxílios, transferências  intergovernamentais e intragovernamentais recebidas, entre outras.

- Outras Variações  Aumentativas – Outras variações patrimoniais  aumentativas não  classificadas nos grupos anteriores


ITEM 3- Controles da Execução do Planejamento e Orçamento

Conforme o Plano de Contas do Manual Aplicado ao Setor Público

6. Controles da Execução do Planejamento e Orçamento
Planejamento e Orçamento
6.1 Execução do Planejamento
6.2 Execução do Orçamento
6.3 Execução de Restos a Pagar


A classe de CONTROLES DA  APROVAÇÃO DO  PLANEJAMENTO E  ORÇAMENTO compreende as  seguintes grupos de contas: 

6.1 Planejamento ––  registra o somatório dos valores financeiros previstos para execução dos  programas e ações estabelecidos no Plano Plurianual e Projeto de Lei Orçamentária Anual.

6.2 LOA – Previsão e Fixação –– registra a receita prevista no orçamento geral, bem com a previsão  adicional. Registra os valores oriundos da receita inicial e adicional a  realizar e sua realização,  segundo a natureza da receita ou fonte de recurso  

6.3 Variações Patrimonias Decorrentes do Orçamento -–  registra as variações qualitativas e  quantitativas decorrentes da execução do orçamento.  

6.4 Inscrição de Restos a Pagar –  registra o valor da inscrição e integração das despesas  empenhadas e não pagas até o último dia do ano financeiro  


ITEM 4 - Controles Devedores

7. Controles Devedores
7.1 Atos Potenciais
7.2 Administração Financeira
7.3 Dívida Ativa
7.4 Riscos Fiscais
7.8 Custos

ITEM 5 - Controle Credores

8. Controles Credores

8.1 Execução dos Atos Potenciais
8.2 Execução da Administração Financeira
8.3 Execução da Dívida Ativa
8.4 Execução dos Riscos Fiscais
8.8 Apuração de Custos


Blog de Professores contábeis

Copyright © 2011 | Powered by Blogger

Formatação e Design | JM DESIGN e Programadores Associados | Criação, Design e Formatação de WebSites | jm.designgrafico@gmail.com