Balanço da Vale divide opinião de corretoras e influencia perspectivas

Share:

O balanço reportado na última quarta-feira (26) pela Vale (VALE3, VALE5), referente ao terceiro trimestre deste ano, dividiu opiniões de corretoras, as quais destrincharam perspectivas céticas para a empresa nos próximos resultados.

A equipe de análise da Ágora Corretora, chefiada pelo analista Marco Melo, afirma que o resultado operacional da mineradora veio um pouco abaixo do esperado no terceiro trimestre deste ano, porém, o lucro líquido de R$ 7,9 bilhões, a despeito da queda de 25,2% na comparação anual, superou as expectativas da corretora, que destaca esse efeito devido às menores perdas cambiais no período.

Já os analistas Rodrigo Fernandes e Renato Maruichi, da Banco Fator Corretora, ressalta a confirmação de suas estimativas de crescimento da receita líquida, a qual registrou o recorde de R$ 28 bilhões no trimestre, com avanço de 9,1% na passagem anual. As projeções da corretora para o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da empresa no quarto também foram alcançadas, com o indicador mostrando alta de 1,2%, para R$ 16,1 bilhões, “devido principalmente ao forte resultado das operações de minério de ferro e pelotas”.


Os efeitos positivos para a receita da mineradora foram em parte compensados pelos menores preços médios de venda do segmento de metais base em R$ 690 milhões, explicou a Fator em relatório.
Projetos e investimentos
 
Em relação aos investimentos, a analista Daniella Maia, da Ativa Corretora, afirma que a postergação do start-up de projetos instiga mais dúvidas sobre o risco de execução dos investimentos da companhia. Daniella considerou os números da mineradora no trimestre como negativos. "O resultado da companhia decepcionou mais uma vez a expectativa do mercado, assim como ocorreu nos últimos trimestres, principalmente por um volume de minério de ferro vendido abaixo do esperado", avaliou.

A Vale reportou investimentos de aproximadamente R$ 8 bilhões no 3T11, equivalente a 18% do total de R$ 24 bilhões previstos para este ano. “Entre os motivos estão os atrasos no desenvolvimento de projetos, em obras de engenharia civil, oferta de equipamentos e serviços, além da obtenção de licenças ambientais”, constata a equipe da Fator.

Por estes motivos, a perspectiva da Fator segue cética para a Vale nos próximos trimestres. "O bom desempenho reportado pela empresa nos últimos trimestres pode não ser repetido nos próximos exercícios, em função de menores cotações e demanda de minério de ferro e minerais não-ferrosos. O investidor deve ficar atento às perspectivas para a economia mundial, especialmente da China, ao comportamento dos custos de produção e investimentos, além da revisão do ambiente regulatório no setor mineral."
Recomendações e Perspectivas
 
A Fator tem recomendação de manutenção para as ações VALE5, com preço-alvo de R$ 59,00 para o final de 2012, com potencial de valorização de 41,52% com base no último fechamento. Já a Ágora faz a recomendação de compra para ambos papéis da mineradora, com preço-alvo para dezembro do próximo ano de R$ 60,50 para as ações ON e de R$ 52,00 para os papéis PNA, com upsides de 35,01% e 24,73%, respectivamente.

Uol Economia

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário